domingo, 24 de fevereiro de 2013

Para descontrair

Oração do Professor

Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,
Dai-me esta graça que vem do amor. 
Mas, antes do ensinar, Senhor, Dai-me o dom de aprender.
Aprender a ensinar Aprender o amor de ensinar. 
Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor. 
De aprender sempre. 
Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar. 
Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe
Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade. 
Que meus conhecimentos não produzam orgulho, Mas cresçam e se abasteçam da humildade. 
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas, Mas animem as faces de quem procura a luz. 
Que a minha voz nunca assuste, Mas seja a pregação da esperança. 
Que eu aprenda que quem não me entende Precisa ainda mais de mim, E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor. 
Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender, Para que eu possa trazer o novo, a esperança, E não ser um perpetuador das desilusões. 
Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.

 (Antonio Pedro Schlindwein)
 

Este ano será um sucesso se... - Texto para primeiro dia de aula

Este ano será um sucesso se...
 houver um sorriso de otimismo, um sonho de beleza em seu coração e poesia nas pequenas coisas: na simplicidade da flor, na inocência das crianças, no silêncio interior, na amizade, no momento presente, na oportunidade de ser bom, ser amigo e compreensivo; sensível ao sofrimento alheio, grato ao passado que lhe proporcionou experiências para o futuro. 
 Este ano será um sucesso se...
 você for franco sem ferir, tiver fé em si, no próximo e em Deus e, acima de tudo, expressar o que pensa do outro com uma palavra de carinho, de apoio, de reconhecimento, de bondade e encorajamento.
 Este ano será um sucesso se...
 você souber vencer a preguiça, o orgulho, a indiferença ao sofredor, a tentação da riqueza, da intriga e da inveja, da intolerância ao ignorante, ao que tem idéias diferentes das suas, ao menos inteligente, ao egoísta, ao mesquinho.
 Este ano será um sucesso se... 
você socorrer a quem precisa, aconselhando-o, estendendo-lhe a mão, dando-lhe ajuda no momento certo, economizando bens materiais, esbanjando amor e solidariedade, entendendo a criança e o idoso, o adulto que não teve infância e aquele que não sabe amar.
 Este ano será um sucesso se...
 você der um “bom dia” de coração e enfrentar com esportividade as desventuras, semear a paz e o amor, vibrar com a felicidade alheia, com a beleza do sol acordando o dia, com a gota de orvalho na flor. 
Este ano será um sucesso se... 
você valorizar cada vitória e o mundo de oportunidades que se abrirem diante de você e, começar cada dia com Deus! Se você for sensível a tudo isso, então este ano será um sucesso para você e para os que viverem ao seu redor! (autor desconhecido)
 

Volta as aulas - 2013.

Este são os meus desejos para este novo ano !

sábado, 26 de maio de 2012

O diabo dos números


O diabo dos números de Hans Magnus Ensenberger , conta a história de Robert, um menino imaginativo cheio de sonhos que mais parecem pesadelos e sonhos malucos. Todas as noites Robert sonha que está sendo engolido por um peixe enorme, que está descendo um escorregador interminável ou com um objeto que deseja ter. Mas numa noite o seu sonho parece estar diferente dos que viera a ter, Robert se encontra com um velhinho e baixinho que diz ser “o diabo dos números”. Encucado com isso, Robert começa a revelar um certo ódio por matemática e tudo que diz respeito. O diabo dos números diz a Robert que matemática é uma coisa bem diferente do que simples contas de calculadora. Mostra que para começar não é necessária calculadora e sim apenas o número um. Aos poucos o diabo vai mostrando a Robert os truques que podem ser feitos com o número um como, por exemplo: 1+1, 1x1, 11x11, etc. E mostra também que através do número um é possível se obter todos os outros algarismos. No fim desta noite, Robert acaba deixando o diabo dos números nervoso de tantos xingamentos que faz a ele, mas acorda dando risos por ter conseguido deixá-lo nervoso. Neste capítulo é possível aprender que os números são simples e que com apenas um deles podemos chegar ao infinito númerico.
Vou postar um pouco do que lí neste livro...

Capítulo 1 - Aprimeira noite

 Robert, um menino de onze anos, não gosta de Matemática porque não compreende nada nas aulas. Ele vê a disciplina como algo muito maior do que sua capacidade, pelo qual não adianta lutar, sobrando apenas neste caso, refugiar-se em seu próprio medo. O menino costuma ter pesadelos de vários tipos, onde é devorado por peixes gigantes, escorrega infinitamente sem conseguir segurar-se, enfim, todos os sonhos que Robert tinha, eram com situações que ele nunca dominava.
Uma noite Robert passa a sonhar seqüencialmente com um diabinho, chamado Teplotaxl – O Diabo dos Números, que se dispõe a ajudá-lo na ciência dos números apresentando-lhe o número 1 como elemento primordial que pelo qual se pode fazer quase tudo. Porém, todas as atividades matemáticas que o diabo dos números propõe à Robert, inicialmente são pontos para crítica por parte do garoto, que diz ser difícil, uma armadilha, algo que começa fácil mas piora com o tempo. Esta é de fato, a visão que o garoto tinha sobre Matemática no início do livro, antes de se aventurar na companhia do diabo dos números. 
 O pequeno Diabo vem para nos mostrar de uma maneira divertida, o quanto a matématica é fácil e simples a partir do momento em que você a entende, pois na matématica não se adivinha nada, nela tudo é exato.

Capítulo 2 - A segunda noite

O segundo capítulo aborda uma dúvida comum entre as crianças que estão ingressando no mundo da matemática: a importância que o zero tem para o nosso cotidiano. O diabo começa esse assunto com os romanos, a dificuldade que eles tinham para escrever um conjunto de números, como por exemplo 1986.
A partir daí, ele explica sobre os chamados "saltos" que os números dão e com isso a importância de compreender a posição do zero para obtermos o número 1986, quantas vezes cada número tem qye saltar para chegar em dezena, centena e milhar.
A forma como o autor encontra para esclarecer essa dúvida é muito importante para a compreensão do leitor, pois ele escreve de uma forma que todos irão entender o que ele quer passar, utiliza de exemplos bem fáceis de se entender, figuras e diálogos.
 A segunda noite de encontro do garoto com o diabinho,promove indagações e reflexões sobre o algarismo zero. O diabinho se utiliza dos números romanos como recurso auxiliar na construção do pensamento de Robert com sua data e ano de nascimento, e aos pouquinhos vai surgindo a compreensão do zero enquanto "nada" e depois, com a representação de "saltos", vai possibilitando o conceito de dezena, centena e milhar, e que consequentemente já lhe permite observar a finalidade dos números elevados bem como, a importância da posição dos números para determinar a equivalência deles. Muito nos encantou, o clima com que o diabinho vai envolvendo o garoto, de forma à fazer-lhe despertar a curiosidade pelos números e essa é a mensagem que devemos carregar enquanto futuros educadores.


Capítulo 3 - A terceira noite

Dessa vez ele vem para falar sobre a divisão, Robert retruca dizendo que detesta a divisão, pois nem sempre a conta da exata, havendo então sobra de números. O Diabinho explica que isso acontece por causa dos números primos.
Robert apresenta uma dificuldade comum naqueles que são introduzidos a matemática entender o mecanismo da divisão, principalmente para compreender o que fazer com o resto.
O diabo dos números fala sobre a decoreba da tabuada, e alega que não é aprendizado da operação.
O interessante num dialogo do Diabo dos Números com Robert, sobre o fato de ele desistir e pela compreensão deduz que será algo que o acompanhará pela vida, isto que observamos nas crianças que não desenvolveram bem o raciocínio lógico acaba não tendo habilidades no trato com os conceitos matemáticos.
Ele explica o conceito da divisão por zero é igual à multiplicação por zero também.
Ele ensina a identificação do número primo através do raciocínio lógico, mas ele não consegue explicar a origem dos números primos.
Robert afirma que o  0 e 1 não são primos, pois todos os outros números saíram dele. E ensina a Robert alguns truques:
* Divisão é a multiplicação ao contrário;
* O número par é sempre a soma de dois números primos;
* Não da pra saber se um número é primo ou não sem antes testa-lo.

 Capítulo 4 - A quarta noite

Ainda bem que o diabo levou Robert à praia essa noite, porque para lidar com números pequeninos e vírgula, só mesmo num lugar tranquilo para ser "menos estressante".
O Diabo apresenta divisões que resultam em números infinitos, aqueles que normalmente se repetem depois do 0 (zero) e vírgula (1:3=0,33333333333333333333). É ai que vemos a importância da calculadora. Devemos entender como se dão essas contas, mas para facilitar o manuseio desses números minúsculos podemos muito bem usar uma calculadora, e nesse capítulo só com a ajuda dela para lidar com os números inexatos, aqueles que sempre resultam em valores aproximados e que nos deixam confusos.
O Diabo nos mostrou também, com clareza e absoluta verdade, como funciona a raiz quadrada e qual a sua utilidade. Na potência demos "saltos" para frente e agora damos saltos para trás, ou para debaixo do chão, "extraindo a raiz".


O livro é composto por doze capítulos distribuídos em 256 páginas.
Postei um resumo dos quatros primeiros capítulos para que  se interesse e leia o restante.
Garanto que vai gostar!!! 
Detalhe...lá no Colégio tem um exemplar.